Publicado por: z. Jan Righi | outubro 2, 2009

Cara, voltei. (rá)

Cara, essa semana eu não parei um dia em casa, não tive aula no laboratório, foi muito tenso. Aconteceram LITROS de coisas desde meu ultimo post eu não tive TEMPO nem cabeça pra sentar e escrever algo pra vocês, gatineos.

Mas hoje eu estou com tempo e cabeça e falar um pouco sobre amizades.

Durante muito tempo da sua vida, pelo menos até os dez anos, é capaz que você não fale nada demais com seus amigos, não tenha muitos segredos, afinal, você praticamente não tem uma vida, não sai com a galera, é suave demais
Depois dos dez anos, você já começa a sair, tem aquele gatinho da escola que você (acha que) está afim, e aí surge aquela pessoa pra quem você vai contar isso: SEU AMIGO. Se esse amigo contar pra alguém, logo de cara, sem seu consentimento é válido dar uma chance, ou duas, mas se isso acontecer MUITAS vezes, quer dizer que ele pode não ser confiável e é melhor você procurar outro BFF.  Pelo contrário, se ele conseguir guardar esse segredo, já nessa idade é capaz de que ele continue guardando seus segredos e vocês fiquem amigos pra sempre eeeeeebaaaaaa.

Mas o que fazer caso durante anos e anos você não conseguir encontrar alguém digno de confiança e que você realmente goste? oras, o de sempre. Tentar.

Acho que desde pequena eu nunca tive uma amizade muito duradoura. No máximo uma que eu a conheço desde pequena mas nunca fomos MELHORES AMIGAS. Porque teve um dia que essa pessoa cujo nome no post será Maria disse que já que a Bruna mudou, a Thay seria sua melhor amiga e quando esta mudasse, eu o seria :S. TENSO DEMAIS pra minha infancia. Outro motivo foi que eu nunca tive muita amizade com criança, meu irmão tinha banda e o pessoal da banda e dos amigos dele eram meus amigos. Nocolégio sempre tive algumas amizades, mas é raro eu falar com alguém do meu segundo colégio, do primeiro então acho que eu nem lembro o nome do pessoal direito, só tem uma que estuda no meu atual e eu vejo às vezes.
Eu realmente fico com medo de que os vinculos que eu fiz no meu colegial, que possivelmente são os mais fortes até hoje, sumam daqui a dois anos, quando eu entrar pra minha faculdade linda de Economia. Será muito estranho não ver alguns todas as manhãs, sair de rolê a tarde, ficar despreocupada, contar minhas coisas, meus problemas. Acho que eu vou levar pouquissimas amizades, mas eu amo muito alguns deles, amo demais pra simplesmente abandonar e deixar pra trás, pois já os considero família.
Os adolescentes de hoje em dia tem mania de considerar amigos como pais, mães, irmãs, irmãos etc. Sou irmã do irmão da minha mãe e irmão da filha da minha mãe com o meu pai mas nesse caso meu pai é mãe dela e minha mãe é pai dela, sacou? Complicado, eu sei. E tenho mãe que é filho meu também, que é pai da ex do meu ex. Um rolo total. Mas são vinculos que podem prevalecer. Com certeza eu vou manter o primeiro irmão que fiz naquele colégio, minha nova mãe, meu pai que é meu filho e outras pessoas que podem não ser familia mas eu considero como uma.

Enfim. Esse post é muito gay. Mas o importante é você encontrar pessoas boas em que você possa confiar, não importa o que elas fazem e sim o que elas sentem. Pessoas são simplesmente pessoas. O que importa não é o que você faz e sim o jeito que você faz e o que você sente sobre aquilo. Tenho amigos muito diferentes. Alguns fazem coisas que eu não gosto, mas não é porque eu sou amiga deles que eu tenho que fazer igual. Outros são mais conservadores o que
eu também não gosto, mas não é por isso que eu tenho que ser santa ou simplesmente parar de andar com eles.

Ser amigo é aproveitar as semelhanças e diferenças, saber balance-las e decidir o que é melhor aproveitar pra si de cada amizade e o que é melhor dar pro outro de si. Encontrar o equilibrio entre tipos diferentes de pessoa é fundamental em qualquer relação que se vá ter no decorrer da vida. O importante é aproveitar ao máximo e analisar de forma concisa os defeitos e qualidades de cada um além de avaliar a cada momento a si mesmo e descobrir o que realmente gosta e quer.

Anúncios

Responses

  1. post gay, mas é verdade. As vezes que mudei de colégio, achei que ia ser foda viver sem aqueles amigos do dia a dia. mas pouco tempo depois, praticamente esqueci deles, e agora nao tenho amigos \o/ (brinks)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: